sexta-feira, 22 de julho de 2011

Batuke no Batike

de Amoy Ribas, é tema do show do dia 24 de julho no Museu da Casa Brasileira

Músicas do álbum de estreia do percussionista compõem o repertório do show do domingo, com entrada gratuita
Após tocar por um longo período com grandes nomes da música brasileira e internacional, Amoy Ribas lança seu primeiro trabalho autoral, o álbum ‘Batuke no Batike’, com onze composições e arranjos próprios. A mistura e diversidade dos instrumentos, aliada à interpretação jazzística dos solos e improvisos, resultou em uma sonoridade vibrante. Canções desse CD solo formam o repertório do show que o músico apresenta no Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, no dia 24 de julho, às 11h. A apresentação integra a série Momentos Especiais, organizada pela produtora cultural Carmelita Moraes, dentro da programação da Música no Museu. O projeto está em sua 11ª edição e acontece tradicionalmente aos domingos, com entrada gratuita.

A síntese do novo álbum é a autêntica música brasileira, com pitadas de jazz e fortes raízes mineiras, cariocas, candangas e nordestinas, com influência de ritmos do mundo inteiro. A mistura de técnicas e estilos distintos é marca registrada do músico, que busca extrair todas as possibilidades sonoras dos instrumentos. ‘O cd ‘Batuke no Batike’ aparece na cena musical com altas doses de frescor’, afirma Guinga, famoso compositor de MPB do Rio de Janeiro. Amoy Ribas transcende o conceito da percussão como simples acompanhamento procurando novos sons no universo percussivo, o que torna sua música vibrante e propositiva, integrando-a com igual relevância aos outros instrumentos.

A proposta da música de Amoy é sempre a livre interpretação, e ele segue o mesmo princípio no seu CD de estreia com a formação de um quarteto: sopros, baixo, violão e uma grande variedade de instrumentos de percussão. O músico se apropriou do uso do pandeiro em enorme variedade de sons como congas, zabumba, tabla, derbak, entre outros. Na marimba de vidro – instrumento da família dos barrafones que produz um som cristalino e penetrante - buscou inspiração para compor as baladas: Divagações, Néctar Abençoado e Catedral de Brasília. Nas músicas Boa Viagem, Velho Chico, Fubá com Queijo e Niemeyer nota-se elevada elaboração harmônica e melódica.

Para este lançamento o compositor convidou grandes músicos da cena paulista: Rogério Botter Maio, no baixo acústico, Hercules Gomes, ao piano, e João Paulo Barbosa, no saxofone e flauta.
Sobre Amoy Ribas

O percussionista, marimbista e compositor Amoy Ribas nasceu em Brasília, morou na Índia, Alemanha, Recife, no norte de Minas e no Rio de Janeiro, sempre atento à música desses lugares pelos quais passou. Sua percussão despertou o interesse em grandes nomes da música como Richard Galliano, Hermeto Pascoal, Gilson Peranzzetta, Marco Pereira, Guinga, Jacques Morellenbaum, Hamilton de Holanda, Nailor Proveta, Billy Blanco, Beth Carvalho, Leila Pinheiro, Joyce e Paulinho Moska, entre outros, com os quais o artista fez shows no Brasil e no exterior.

Repertório:
1. Velho Chico
2. Tamboril
3. Fubá com Queijo
4. Nectar Abençoado
5. Catedral de Brasília
6. Dá no Couro
7. Batuke no Batike
8. Boa Viagem
9. Niemeyer
10. Barra do Guaicuí
11. Divagações
Todas as músicas são de autoria de Amoy Ribas
Músicos:
Amoy Ribas – bateria, percussão e marimba
João Paulo Barbosa – saxofones e flauta
Hercules Gomes – piano
Rogerio Botter Maio – baixo acústico
Sobre o Projeto Música no Museu

Um dos projetos mais longevos do calendário do Museu da Casa Brasileira, o Música no Museu traz, há 11 anos, apresentações de qualidade com entrada gratuita num dos locais mais charmosos da cidade: o jardim da instituição. Nesse período, curadores de renome assinaram a programação. Entre eles os maestros Julio Medaglia e João Carlos Martins, assim como os pesquisadores e músicos Benjamin Taubkin, Antônio Nóbrega e Magda Pucci. Mais de 120 mil pessoas conferiram, nas 11 edições do projeto, as apresentações de nomes importantes da música brasileira, como Zimbo Trio, Mawaca, Orchestra Bachiana, Mutrib, entre tantos outros grupos, coletivos, projetos solo e camerísticos da música popular e erudita.
Na temporada de 2011, o projeto, com a coordenação de Carmelita Rodrigues de Moraes, tem como objetivo divulgar a diversidade da música nacional e internacional por meio de diversos estilos: instrumental, erudita, popular, medieval, renascentista, entre outros, e, ao mesmo tempo, oferecer ao público momentos agradáveis e especiais.

Serviço: Música no Museu – Amoy Ribas e quarteto
Apresentação: Dia 24 de julho, domingo, às 11h
Local: Museu da Casa Brasileira
Endereço: Av. Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano Tel. 3032-3727
Ingresso: Grátis
Acesso a portadores de deficiência física.
Visitas orientadas: 3032-2564 agendamento@mcb.org.br
Site: www.mcb.org.br
twitter.com/mcb_org
Oficina de Percussão
Amoy Ribas apresentará instrumentos percussivos, mostrando diferentes técnicas, sons e ritmos. Os participantes poderão explorar estas técnicas e conhecer a importância destes objetos dentro da nossa cultura.
Data: 24 de Julho, às 15h
Local: Museu da Casa Brasileira
Endereço: Av. Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano Tel. 3032-3727
Ingresso: Grátis
Inscrições: (11) 3032-2499

Estacionamento: de terça a sábado até 30 min. grátis, até 2 horas R$ 10,00, demais horas R$ 2,00. Domingo: preço único de R$ 15,00.
Bicicletário com 20 vagas
Apoio: CCR, Cerâmica Atlas e Fritz Dobbert

Nenhum comentário:

Postar um comentário