quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Os Bàbáláwo e o culto a orixá de Marcos Arino

Extraímos duas respostas de uma conversa entre o Luiz L. Marins e o Marcos Arino, do artigo publicado por Marcos, que é de suma importância para a comunidade afro-religiosa.  Segue o texto;


Luiz L. Marins


"Àse a todos!

Muito bom texto Marcos, como sempre, de uma lucidez impressionante!

Sobre a interação do Ifa com as religiões afro-brasileiras, não sou contra, acho que vem para somar, se for feito corretamente, como falou em seu texto. Cada um na sua!

Entretanto, se os ifaístas de última hora quiserem fazer valer o pseudo conceito absolutista, totalitarista e ditador que "o orixa nasce do odu" ou, "odu é quem dá nascimento a orixa" ou, "não existe orixá sem odu", ficará difícil tal interação, pois se tratará apenas de uma aproximação para subjugar, controlar e dominar.

Já tive discussões enormes por causa disso, pois a palavra "nascer", neste contexto, além de equivocada, está muito mal empregada. O único objetivo deste pseudo conceito é subjugar as religiões afro-brasileiras, algo que não podemos admitir de forma alguma.

Um exemplo disso é o Batuque (RS) onde não existe odu-ifa, não tem, nunca teve, e nunca terá, pois tem oráculo próprio baseado nos Orixás, e não nos odu. Os Orixás no Batuque existem vivos e fortes, sem que nunca fosse preciso tirar um odu, seja de Ifá ou de búzios.

Naturalmente que isto não impediria a interação de Ifá com o Batuque, mas desde que não tentem subjuga-lo com pseudo-conceitos criados apenas para satisfazer a ânsia do poder de alguns sacerdotes.

Espero que não tomem estas palavras como afronta, mas apenas como uma realidade própria de um segmento das religiões afro-brasileiras!

Ire o!"

Marcos Arino
"Luiz,

Fui de Candomblé e sou de Ifá. Estudei Ifá por longos anos, muitos mesmo. Os cubanos vendem seu conhecimento por dinheiro e os africanos também.

Essa palhaçada que eles falam que orixá nasce em Odu querendo se colocar acima ou conhecedores é apenas farofa. Os cubanos e a maior parte dos brasileiros abduzidos nem sabe o que é orixá (claro que tem brasileiro em Ifá que sabe das coisas). Cubano definir Orixá? Dificil, primeiro ele tem que aprender.

Temos culto de orixá ha dezenas de anos. Orixá aqui sempre nasceu sem isso. No dia que eles entenderem como nasce e se faz um orixá eles mudam essa frase.

Eles e os nigerianos também vomitam essa coisa de Itá, de Odu de iniciação. Falam isso porque não sabem o que temos. Eles tem apenas isso e mais nada em um processo iniciático elementar e primário.

Eles não sabem nada de individualização, de ori, de esu do orixá, de juntó, de qualidade de orixá, de enredo de orixá. Eles não tem idéia de como individualizamos a iniciação e de como cada Iyawo nasce único. Não temos o Itá mas temos uma alternativa muito superior.

A integração com Ifá não passará por subjugar o que sabemos e fazemos e muito menos por mudarmos o Ifá deles. Passa por ecumenismo."

Fonte - http://blog.orunmila-ifa.com.br/2015/02/os-babalawo-e-o-culto-de-orixa-o-que.html

Um comentário: