terça-feira, 13 de junho de 2017

ALAAFIN DE OYO DECLARA GUERRA AOS FRAUDADORES DE IFÁ

Erick Wolff de Oxalá
13/06/2017


Os nossos correspondentes de Oyo, Nigeria, nos enviaram informações sobre a grande ação do Alaafin, que luta contra a corrupção e o crime organizado em Oyo.

Informam que o próprio Alaafin não irá admitir que criminosos continuem a usar a fé das pessoas e continuem impunes.

Nesta terça feira  o Jornal Daily Update, noticiou a declaração de guerra do Alaafin contra criminosos de Ifá, confira;

Alafin de Oyo, Oba Lamidi Adeyemi, 


O Alaafin de Oyo, Oba Lamidi Adeyemi deu ordem para investigar e prender uma quadrilha de sacerdotes de Ifá, que usaram o nome do seu Palácio para envolver turistas e vender falsos títulos e relíquias, para estrangeiros desavisados.

O jornal Daily Update, noticiou ainda que a quadrilha de sacerdotes de Ifá, pertencentes ao Templo Ijo Ifá Adimula, estavam envolvidos em vários crimes, interceptando turistas pela internet e lhe conferindo títulos sem o conhecimento do Alaafin.

Garantido pela Lei Oba Adeyemi, lei esta que garante  que criminosos não sujarão o nome da cultura Yoruba perante a comunidade internacional, por isso o monarca informou a policia de Dubar, contando ainda com uma petição do advogado do palácio, o chefe Wale Adeoye e o Obaloluwa Chambers, Oyo.

A petição com duas  páginas,  foi solicitada pelo palácio e enviada aos centros religiosos tradicionais da cidade que se filiem ao Asa Orisa (https://www.facebook.com/asaorisa), organização reconhecida pelo Alaafin, para garantir que não hajam mais fraudes ou e suas pratica sigam os os costumes tradicionais.

Listados na petição, datada de 23 de maio de 2017, os nomes dos suspeitos: Faniyi Awoniran Omoyemi, Ojelabi Okewole, Faleye Ikusaanu, Kehinde Ifaloseyi, Fasola Olaniyan, Famuwwagun Oloyede, Ifayemi Olaniyan, Ifakorede Ifaloseyi, Ifadoyin Ifatoki, Oyasogo Ifakorede, Ifasooto Ifawumi Adeyemo, Awoniran Awotunde, Awoniran Ifamuyiwa e outros.

Sabemos que alguns suspeitos estão sendo investigados e alguns compareceram perante o tribunal de Ibadan na última sexta-feira, Pesam sobre estes quatro acusações, sendo as de organização criminosa , premeditação dos crimes de  representação, falsificação e tentativa de causar a violação da paz pública.

Apenas Ikusanu Faleye, Fasola Olaniyan e Olaniyan Awoyemi compareceram perante a  corte de Iyaganku, Ibadan, enquanto outros ainda estão sendo procurados pela policia local.

Em sessão, o promotor, o Fatola Sunday, explicou que os réus e outros personificaram o Alaafin e atribuíram o falso título de chefe de Oba Ifa Adimula da América do Sul a alguns estrangeiros.

As infracções, segundo o promotor, foram puníveis nos termos das secções 517, 484, 467 e 249 (d) Código Penal Cap 38, Vol II leis do Oyo State of Nigeria, 2000.

No entanto, os acusados não se declararam culpados das infrações, após a qual o magistrado A.A. Adebisi, concedeu fiança em soma de N100,000 com garantia e comprovante de emprego e suspendeu o processo até 17 de julho.

O Oluwo de Oyo Alaafin, Ifatoki Ojo esclareceu que nenhum sacerdote de Ifá tinha a autoridade para conferir o título académico,  premissa de que é exclusiva do Alaafin vez que é a autoridade suprema.

Falando em nome do sacerdote centenário, seu filho, Ifakayode Ifatoki negou as acusações, e o uso da internet e outras redes sociais para perpetuar os crimes, dizendo que seu pai não sabe nada sobre a fraude.

"Meu pai não estava ciente das atividades dessas pessoas, porque, se ele estivesse ciente, teria advertido contra a profanação de nosso costume e tradição. Nenhum praticante de Ifa deve ter o prazer de saber que um grupo está usando a internet para atrair vítimas e coletar dinheiro delas, com a promessa de que o Alaafin lhes confira títulos de chefe ", disse o acusado de 40 anos.

Aparentemente, percebendo a determinação do Alaafin de seguir processo , os membros da família do acusado, foram preso. Estão fazendo movimentos frenéticos para implorar ao monarca,  tendo inclusive um sacerdote antigo insultado ao Alaafin no último sábado à noite.



Fonte - http://dailyupdateng.com/2017/06/13/alaafin-declares-war-on-ifa-priests-in-oyo/

domingo, 11 de junho de 2017

3 SACERDOTES DE IFÁ FORAM PRESOS POR VENDA DE FALSOS TITULOS À EXTRANGEIROS.

Por Erick Wolff de Oxalá

Este artigo foi coletado do site Naijagists.com, ele demonstra como as vitimas são selecionadas pela internet, envolvidas pela ganância e desejo de poder, e acabam caindo em ciladas, sem checar se os mesmo são pessoas honestas e possuem autorização para o que são fazendo. 

Assim compram títulos e cargos ilegais, porem desta vez os criminosos não se deram bem, e foi através da própria internet foram localizados e presos, confira.


Preso um sacerdote de Oyo, em Iyaganku, Ibadan, juntamente com seus cúmplices, na última sexta feira, dia 08 de Junho de 2017, acusado de fraude ao representar o Alaafin de Oyo, Oba Lamidi Adeyemi, e por conceder títulos ilegais aos estrangeiros.


Os réus, Ikusanu Faleye, Fasola Olaniyan e Olaniyan Awoyemi, foram acusados de quatro acusações de conspiração para cometer delito, representação, falsificação e conduta susceptíveis de causar violação da paz pública, por representar o Alaafin de Oyo, Oba Lamidi Adeyemi e por conferir ilegalmente títulos de cúmplices a alguns estrangeiros.

Os acusados ​​foram acusados ​​de dar o título de chefe de "Oba Ifa Adimula da América do Sul" a alguns estrangeiros.

Eles também foram acusados ​​de forjar certificados de título de chefe e apresentá-lo a Franciva Leoa Nobres, a quem eles batizaram 'Ifatowo Adebayo', Dasiel Guerra, batizado como 'Awotunde Ajisola', e José Lara, batizado com o nome 'Ifakayode Falade' sem o consentimento Do monarca.

As infracções foram punidas nos termos das secções 517, 484, 467 e 249 (d) Código Penal Cap 38, Vol II, leis do Oyo State of Nigeria, 2000.

Quando apresentado antes do Magistrado A.A. Adebisi, os acusados ​​disseram que não eram culpados das ofensas.

Uma fonte do palácio disse ao nosso correspondente que as pessoas acusadas pertenciam ao Templo Ijo Ifa Adimula, Bara, Oyo.

Ele disse: "Eles atraíram suas vítimas através da Internet e colecionaram uma quantidade não especificada de dinheiro em moeda estrangeira com a promessa de que o Alaafin lhe confira títulos de chefe. Sua sorte (acusada) acabou depois que algumas das vítimas publicaram as fotos da coroação on-line, pensando que obtiveram títulos autênticos do Alaafin “.

Imagem da prova-

fonte - http://naijagists.com/photos-3-ifa-priests-turned-yahoo-boys-arrested-selling-fake-yoruba-chieftaincy-americans/