quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Intolerância religiosa produz mais uma vítima


Por Bàbá Erick D'Òòṣàálá


A casa onde a Umbanda começou está sendo demolida para construírem um Armazém, a centenária casa onde Zélio de Moraes, deu inicio a segunda maior religião brasileira, depois do Candomblé, que até hoje é uma das religiões mais popular brasileira que prega a solidariedade incondicional, sem se importar se o individuo ao qual for ajudar irá ou não frequentar, bem do estilo dá o pão e não obriga a rezar, faço a minha parte sem interesses, chora a brutal destruição de um passado que foi marcado por uma revolução espiritual.

Infelizmente a prefeita “Evangelica”, Aparecida Panisset, proporcionou todo o estado evitando que fosse  reformada até que a estrutura da casa chegasse ao limite, vendendo e transformando o terreno num armazém, apagando assim a história e um passado de caridade e dedicação de médiuns e pessoas que fizeram da sua vida uma missão de estudos e religiosidade.

Este patrimônio brasileiro poderia ser salvo por um decreto da prefeita, porem ela não fez nada, mais uma vez a má índole de pessoas como a prefeita fizeram com que o Brasil perdesse um tesouro inestimável.

Mas o que mais me admira é saber que o brasileiro não possui memória, nem mesmo os habitantes  do bairro e vizinhos sabiam da história daquela casa, porque será que ninguém dá valor a nada?

Eu tenho vergonha do meu Brasil!!!!!!

2 comentários:

  1. Via noticia hoje.

    me parece que a família vendeu para ma pessoa que vai constuir ali uma loja.

    Sem duvida a Prefeita Panisset, evangelica e cujo pai é partor, jamais iria mover um musculo em prol disso.

    o local era propriedade partiular e assim foi tratado.

    Devemos juntar o fato de que São Gonçalo é um município muito grande, muita gente e pouca receita. São problemas demais para dinheiro de menos.

    Mas sem duvida o local onde surgiu a Umbanda, uma religião brasileira poderia ter melhor destino. Existem casas menos importantes que sobrevivem.

    A culpa não é somente da Prefeita. A tenda espirita mirim ainda tem seus descendentes, como a TE são jorge. Essas pessoas poderiam se mobilizar.

    Some-se a elas estas inúteis federações de umbanda e outras organizações que se dizem interessadas na cultura, como o Icapra. Alguém talvez achasse um pouco de dinheiro que não caiu no ralo da corrupção.

    Mas se até os aparelhos urbanos como o Maria lenk e o velodromo ficam abandonados o que dirá isso.

    ResponderExcluir
  2. sou egbomy filho de oxoguian estou completamente pasmo com tanta sabedoria muito axe

    ResponderExcluir